Com tecnologia do Blogger.
Mostrar mensagens com a etiqueta VEGAN. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta VEGAN. Mostrar todas as mensagens

LEGUMES GRELHADOS COM MOLHO LIMÃO

Com a tempo a abrir completamente nada faz mais sentido que comidas leves, nutritivas e sem sentimento de culpa. Já nem falo a nível de culpa a nível ético, estamos no Alho Francês, só culpa calórica.
Legumes grelhados parece bem? Claro que sim. Mas mesmo grelhados e já bem saboroso pedem um molho fresco mas que seja envolvente ao mesmo tempo não é?

Festival do Chocolate em Óbidos







Quem é que nunca foi ao Festival do Chocolate em Óbidos? Um marco nacional e internacional que atrai milhares de visitantes, autocarros vindos de todo o lado chegam para visitar esta deliciosa atracção, uma visita gulosa, em familia ou para um dia diferente, é algo que se ainda não foram não podem perder para o próximo ano, por agora acabou, e eu tive a honra de fechar o festival com o último workshop!

Pesto de Agrião


Já todos sabemos que os superalimentos são uma tendência do momento, por todo o lado os vemos, a aliciarem-nos para serem comprados. Para mim (e sim, consumo quinoa que está lá no meio deles) ainda é uma designação que me provoca uma certa irritabilidade, isto porquê? Na minha opinião (e vale o que vale) acho que, como esta denominação chama à atenção, as pessoas vão atrás disso, das modas (rentável para quem os vende), mas porque não chamar-lhes apenas pelo nome apesar das suas inúmeras propriedades? Quinoa - um cereal. Clorela - uma alga, e por aí adiante? Já nem falo do elevado preço.. Sendo assim, e sairá mais barato com certeza, começaríamos a chamar ao agrião, tomate, brócolos de superalimentos. Ah, já sei.. o facto de não serem tão tchaná, tão mediáticos, não lhes dá o estatuto de tal. Só isso e o uso abusivo dos títulos Sr Dr, Sr Engenheiro, etc. Lá está, títulos desnecessários.

Estefânia Vaz - Nutricionista

BOLO CENOURA VEGAN



Mais uma vez, o que preciso de dizer, sobre cenoura com chocolate?
Outra daquelas combinações que falam só por si.
O que se pede num bolo de cenoura? Textura, humidade e aquele sabor caseiro, o sabor verdadeiro. Pois é, este tem tudo e mais alguma coisa, para além de ser vegan, é fortificado em nutrientes e tem o toque leve e verde que o Alho gosta de dar!

Sopa Tomate Perfeita


A melhor sopa de tomate é a mais simples. Há dúvidas? Claro que não.

Para mim ingredientes extras apenas servem para desvirtuar e camuflar o tomate, se forem usados tomates com qualidade seja eles de onde vierem é mais que suficiente para deixar o paladar a palpitar.
Só é preciso ter um pouco de cuidado com a acidez característica do tomate quando usado como actor principal, uma coisa também vos digo, o bom tomate tem a acidez muito bem equilibrada com o seu sabor característico.

Muffins Banana Amendoim

Pouco preciso de dizer sobre esta combinação. Creio que deve ser um post que não necessita de nenhuma introdução, um sabores que combinam lindamente, Muffins Vegan de banana, manteiga de amendoim e aveia, fica um bolo saboroso, nutritivo e de muita energia! O pessoal cá de casa deliciou-se com eles e nem repararam a falta dos ovos

Bolinhas Energéticas


Pois é, hoje trago-vos um post totalmente diferente aqui no Alho.
Antes de vos explicar a receita, explico o porquê do mesmo, toda a gente sabe que estando fora de casa entre refeições torna-se complicado comer, muitas vezes somos obrigados a comer rápido e a comer mal. Então o ideal é trazer comida de casa, uns snacks mais saudáveis de preferência,  para não cair na tentação de comer porcaria, toda a gente sabe que quando a fome aperta é quando apetece comer mais mal e "porcamente".

A minha mulher costuma andar sempre com barrinhas energéticas ou de cereais, mas quase sempre passo fome na mesma porque não gosto da textura daquilo, muito seco ou emborrachado, dou uma dentada para enganar mas não aprecio de todo aquilo... 
Para combater isso trago-vos aqui as Bolinhas Energéticas do Alho Francês, ricas em nutrientes e muito saciantes, além disso muito mais baratas do que as malditas barras, tudo natural e com uma textura fresca, deliciosa e pouco doce!


Ingredientes para aproximadamente 20 bolinhas:
(duram uma semana em média, 4 por dia, 2 de Manhã e 2 à Tarde)

- 200gr Ameixas Secas sem caroço
- 100ml Água quente
- 4 colheres sopa Farinha  de Alfarroba
- 4 colheres sopa Sementes de Chia
- 2 colheres sopa Amoras Brancas Iswari
- 2 colheres sopa Amêndoa
- 2 colheres sopa Côco Ralado
- 8 colheres chá Super Vegan Protein Iswari
- q.b. Cacau Magro

Modo Preparação:

1- Começo por colocar as ameixas secas sem caroço com a água quente num blender até ficar líquido e homogéneo.
2- Junto ao preparado interior todos os ingredientes secos e envolvo até formar uma pasta espessa (a chia entretanto vai inchar e absorver alguma da humidade extra).
3- Coloco no frigorífico durante umas 2h para ficar mais rijo.
4- Enrolo uma bolinha com as mãos (estilo tamanho de uma cereja) e rodo sobre cacau magro para não ficarem pegajosas.


Principais Nutrientes

Ameixas Secas  - Ricas em Fibras, Vitaminas do complexo B, A e K, além disso é rica em minerais como Mágnésio, Fósforo e Potássio.

Farinha  de Alfarroba - Rica em fibra, quase 20% da sua composição é de apenas fibra, além disso também tem uma grande percentagem de Cálcio, Potássio e Magnésio, contém açucares naturais baixos em calorias e quase não tem gordura (0,5%), ao contrário do cacau, sendo o seu sabor parecido, é um comum substituto.

Sementes de Chia - Rica em Ómega 3 é um excelente antioxidante, além disso contém minerais como Cálcio, Potássio, Zinco, Ferro e Cobre, é rico em fibras solúveis o que ajuda à sensação de saciedade sem grande volume de alimentos.

Amoras Brancas Iswari - São conhecidas como as Rainhas de todas as Amoras, ricas em Vitamina C, (quase 40mg por cada 100g) mas também contém Vitaminas A, K, B e E, também são ricas em Ferro, com quase 2mg por cada 100g.

Super Vegan Protein Iswari -Uma mistura de 3 proteínas vegetais, Cânhamo, Ervilha e Arroz. Tem um elevado teor de Ómega 3, Cálcio, Ferro, Magnésio, Fósforo, Tiamina, Riboflavina e Potássio, para além destas características, a sua principal fonte é a proteína contendo cerca de 130% da dose diária recomendada (3 a 6 colheres de chá por dia).
As proteínas vegetais são mais facilmente digeridas pelo organismo, têm um elevado teor do aminoácido arginina. 


A mulher arranjou estas caixinhas na Tiger e anda com elas na mala para sempre que tivermos fome fora de casa, também dá para fruta, bolos, etc.

Shiitake com Ananás dos Açores



As festas de anos quando eu era miúdo, vá petiz, eram sempre nos restaurantes chineses, todos gostavam e era acessível para toda a gente. Recordo-me, para além dos crepes vegetarianos (sim, havia sempre uma versão vegetariana sem aquelas bolinhas pequeninas de "carne") o prato que eu comia mais era a galinha com ananás e amêndoas. O prato vinha para a mesa dentro da casca do ananás. Nessa altura esse, para mim. era um emprazamento genial, divertido no mínimo.


Antes de passar ao prato propriamente dito, é com mágoa que me recordo do chinês da Praça de Espanha, o Muito Bom que era todo um outro nível de restaurante chinês, mil opções vegetarianas, tinha "frango" vegetariano, "bacalhau" vegetariano até depois uns anos mais tarde reabrir só como restaurante vegetariano 100% e ter fechado, um pouco antes de toda esta "moda". Que pena. 

O ananás para mim sempre foi dos meus sabores favoritos, aquele misto de doçura e acidez sempre me seduziu. 

Vamos ser justos uma coisa é Ananás e outra coisa é Abacaxi. 
Devo ser um felizardo, o meu pai na sua área profissional, na área do transporte marítimo, sempre lidou muito com os Açores, eu comia muito queijo da ilha, ananases... 
O ananás dos Açores é um pedaço de ouro que se pode comer. Está anos luz acima dum "simples" abacaxi. Sei que o preço dele não é um preço que "todos podem pagar" mas compensa a nível gustativo. Mal o tive na mão pensei logo num prato estilo chinês. Ainda para mais com os Shiitake do Migaas o prato já estava feito.

Ingredientes para 3/4 pax:
- 1 Ananás dos Açores 
- 250gr Cogumelos Shiitake
- 1 Cebola Branca
- 1 Cenoura média
- 1 dente Alho
- 50gr Bambu em calda
- q.b. Açúcar Mascavado
- q.b. Molho Soja
- q.b. Vinho Branco
- q.b. Vinagre
- q.b. Ketchup
- q.b. Miolo de Amêndoa Tostado 
- q.b. Piri-piri em pó (opcional)



Modo Preparação:
Para que todos os componentes contribuam para o prato no seu esplendor é necessário encarar esta receita em fases. Tanto pelos tempos de cozedura, textura como pelo sabor. Explicando por texto as coisas parecem sempre mais complexas do que na realidade o são. Alguma dúvida sabem como me encontrar, facebook, instagram, e-mail... o Alho está aqui para vocês.

1- Começo por um dos principais intervenientes, o ananás. Descasco-o desperdiçando o menos possível e corto em cubos e numa frigideira quente com um fio muito curto de azeite. Coloco-os e polvilho com um pouco de açúcar (muito pouco porque a doçura do ananás é incrível), o intuito é mesmo o "comer com os olhos". Passar-lhe aquele golden look. Ouro puro. Reservo.
2- Depois de descascar a cenoura corto em cubos com o mesmo tamanho do ananás e coloco-os na mesma frigideira onde corei o ananás com um pouco de azeite. Os sabores não se podem perder. A ideia é saltear a cenoura ficando ainda com um ponto mais para o cru no interior. A textura do que comemos nunca pode ser descurada. Junto a cebola aos cubos e deixo saltear um pouco até ficar mais translúcida. Reservo
3- Ficando só a faltar o outro ingrediente principal, os cogumelos. Sempre a mesma conversa eheh. Azeite bem quente, cogumelos lá para dentro para fazer um valente PSHIIIIIIIIII, junto o alho picado sem pedúnculo e reservo.
4- Para finalizar junto tudo numa frigideira bem quente para temperar e criar o molho envolvente.
5- Quando estiver tudo quente junto o vinho branco, o vinagre e o ketchup, tempero com o molho de soja e deixo apurar um pouco. Os sabores vão se misturar e ficar um belo agridoce. Junto as amêndoas torradas para dar a textura e o sabor a frutos secos, adiciono o bambu em calda e está pronto.


Vegan Petit Gâteau



Pois é, os franceses chamam-lhe o pequeno bolo, mas a verdade é que isto é um pequeno pecado. Quando o abres e aquela lava de chocolate escorre para o prato, começamos logo a comer com os olhos.
É impossível ficar indiferente a esta pequena delícia que nasceu por um erro de cozinha e se tornou numa das sobremesas mais famosas do mundo.

Hoje trago-vos então a versão Vegan, totalmente livre de crueldade que não difere em quase nada da receita original! Os mais picuinhas nem vão reparar.
Querem melhor? Totalmente saudável, sem doses exageradas de açúcar, com manteiga de cacau que é uma gordura saudável e muito versátil na cozinha visto que não tem sabor.

No outro dia como vos mostrei nas redes sociais (aconselho a acompanhar por lá) fui à Inauguração da nova Loja do Celeiro em Campo de Ourique e rendi-me finalmente à ISWARI, era já consumidor do Açúcar de Côco (maravilhoso) que usei nesta receita também e comprei a Manteiga de Cacau já a pensar numa sobremesa, como sabem eu não sou o maior fã de sobremesas mas um pecado de vez em quando sabe ainda melhor.




Ingredientes para 4 unidades:

- 1 Chávena Farinha
- 1 Chávena Leite Aveia
- 2 cl Sopa Cacau Magro em pó
- 1 cl Chá Fermento pó
- 1/2 Chávena Açúcar Côco Iswari
- 100gr Chocolate Preto 70%
- 100gr Manteiga Cacau Iswari

Molho Framboesa:
- q.b Acúcar de Côco Iswari
- q.b. Framboesas Frescas
- q.b. Água

Modo Confecção:

1- Em primeiro lugar com muito cuidado com a água  (é o arqui-inimigo do chocolate), coloco uma taça por cima duma panela com água a ferver para derreter em banho maria o chocolate preto com a manteiga de cacau. Reservo.
2- Numa batedeira coloco todos os secos peneirando a farinha para ficar mais leve. Verto o leite aos poucos para ir batendo lentamente.
3- Quando o leite estiver bem incorporado começo a deitar a mistura do cacau derretido até ficar tudo homogéneo.
4- Como não tenho aqui formas indicadas cozi o petit gateau na mesma chávena que usei da farinha, só é preciso untar com margarina vegetal e um pouco de farinha para ele sair depois. É necessário dizer que por segurança eu adicionei bastante farinha para ter a certeza que o conseguia desenformar bem, se virem bem nas fotografias nota-se a farinha de lado, dano colateral.
5- Levo imediatamente a um forno pré aquecido a 210º durante uns 12 minutos. O meu forno em casa é muito bom, tão bom quantos os profissionais então o calor é bem uniforme e regular. Nos vossos fornos em casa tenham atenção que ele está pronto quando começa a "rachar" um pouco em cima, quer dizer que o líquido do chocolate quer "ferver". Mas o tempo não deve variar muito. Se correr mal não desistam. Façam como eu, cozam 2 a 2 e assim conseguem ter 2 oportunidades.
6- Depois de retirar do forno deixo repousar uns 2 minutos, para o ajudar a sair, com o auxilio duma faca contorno a chávena.
7- Emprato logo de seguida e estamos prontos para o pecado.
8- Para acompanhar nada melhor que framboesas. Manter tudo simples. Framboesa casa na perfeição com chocolate. Levo um pouco do açúcar numa frigideira quente, quando começa a derreter junto as framboesas e um pouco de água. Mal elas estejam em "papa" o molho está pronto. Adoro porque fica com a textura das sementes.
9- Junto umas amoras brancas da Iswari que são um antioxidante poderosíssimo et voilà.



Tofu com Broa

Adoro quando estou em casa, vou à cozinha, paro, olho para todos os lados e cruzo ingredientes e sai me um prato. bla bla bla...
Era um resto de broa, quando me viro vejo os tomates já maduros e pronto. Deixa-me cá aproveitar antes que a broa seque e o tomate se estrague. Broa e tomate combinavam na perfeição.


Outono num Prato - Tofu com Castanhas


Ninguém tem dúvidas que estamos na época da castanha. Aquela inocente semente que nos conforta a alma nos dias de outono onde o frio começa a aparecer. O cheiro que perfuma as ruas quando o assador de castanhas trabalha, é quase impossível de resistir. Podemos comprar e fazer em casa, sejam cozidas, assadas.. elas são perfeitas para o efeito. Um sabor aveludado e doce indescritíveis.

Cogumelos com Maçã


Antes do post propriamente dito deixo-vos um pequeno texto dum grande amigo meu sobre cogumelos. Vivido na primeira pessoa. Não dá para escrever um texto "pequeno" quando a paixão que existe é deste tamanho e desta intensidade.

Quando me iniciei no vegetarianismo rapidamente descobri o valor dos cogumelos: facilmente substituem carne em receitas vulgares satisfazendo de sabor e textura, e são uma fonte de alguma proteína e de vitaminas do grupo B e D. Sei hoje que têm um valor nutricional mais amplo, benefícios à saúde e até propriedades medicinais.
Selvagens ou de cultivo, existem milhares de espécies de cogumelos comestíveis, com aromas, texturas e formas variadas, e de usos muito diversos na cozinha. Há muito a dizer sobre cogumelos e como os cozinhar, mas em jeito de introdução vou vos falar um pouco sobre cada espécie usada nesta receita e espero deixar-vos curiosos a descobrir mais:

Cogumelo Eringi (King Oyster) – Um cogumelo com pé grosso e carnudo, permite o corte de fatias mais largas que se destacam no prato. O aroma subtil engrandece quando cozinhado. Espécie apreciada e cultivada na Asia Oriental, é de facto nativa da Região Mediterrânica e podem ser encontrados em habitat natural em Portugal onde são conhecidos por “Cogumelo dos Cardos”.

Trombeta Negra/Trombeta da Morte: Não se assustem, é um dos melhores cogumelos gourmet e difícil de confundir com qualquer espécie tóxica. Tendo virtude na cor negra que contrasta com outros ingredientes, a maior virtude é o sabor. Sabor esse que fica mais intenso se procedermos à desidratação para utilização posterior, por exemplo a condimentar molhos, sopas ou guisados.  

Shiitake – Nativo da Asia Oriental, cultivado no Japão desde o século XIII e actualmente cultivado em todo o mundo. A textura carnuda e o sabor a corresponder fazem destes um perfeito substituto de carne que me convenceu facilmente, são um dos meus favoritos. Tradicionalmente usados em variadas receitas asiáticas, eu prefiro-os simplesmente salteados ou até grelhados.

Cantarelos (Giroles) – Um dos 4 cogumelos gourmet mais apreciados. A textura carnuda e suave é incomparável.  O aroma delicado persiste mesmo após cozedura longa, tendo notas frutadas e havendo até quem os use para sobremesas! A cor amarela e forma persistem também à cozedura, pelo que é um ingrediente muito apelativo em qualquer prato.

Cantarelos-Tubo (Grey/Winter/Trumpet Chanterelles) – familiar próximo dos Cantarelos, tem aroma bastante semelhante, e embora com menos carne mantém também a forma quando cozinhados, sendo excelentes em sopas, guisados e pastas. Um dos melhores cogumelos para conservar por desidratação.

Portobello – os cogumelos “Marron” e Portobello são de facto a mesma espécie mas em fases de crescimento diferentes. E os clássicos cogumelos de botão branco são também a mesma espécie numa variante de cultivo. Apesar de ser a espécie de cultivo mais comum não é por acaso que se cultivam pois têm uma excelente textura, um aroma bom embora subtil, e muita versatilidade: burgers, grelhados, assados, espetadas, recheados… 


Esta receita é portanto um irresistível desfile de texturas e aromas. Obrigado ao Alho Francês pelo convite para participar e bom apetite a todos!

Fábio Godinho

No Domingo (dia 30) fui ver um evento que decorreu no Chapitô à Mesa, Anel de Fadas - Festa dos Cogumelos. nomeadamente para ver e ouvir o testemunho de uma das grandes, senão A responsável pela actualidade da gastronomia nacional. Falo de nada mais nada menos do que Maria de Lourdes Modesto, se não conhecem recomendo exaustivamente uma pesquisa na internet. Conta neste momento com 86 anos e continua com uma lucidez e uma acutilância de discurso fenomenais e um humor requintado.

Brownie Frutos Vermelhos


Para quem ainda não sabe, estive a viver na Noruega nos últimos 6 meses, cheguei a Portugal há poucos dias.
Pelos seus bosques abundam os frutos vermelhos, as framboesas, os mirtilos, as amoras pretas e brancas... Durante épocas bem demarcadas (aqui levam-se muito a sério, são um importante meio de subsistência) é só sair da porta para fora andar um pouco e um dos tesouros que a terra nos dá está à mão de semear (colher). Com a rotina de ir passear a Lola, leva-se um saquinho para as tarefas dela e outro para a colheita!  ahah a vida no campo.

Há inúmeras maneira de os utilizar, petiscar como se fosse um snack, fazer compotas, batidos, etc.

Começou a ficar bastante frio, ao ponto de chegar aos negativos à noite, e o que apetece? Sinceramente, bolos e chás...  Só tinha chás, tinha de tratar do bolo.
Um que desse para comer, comer, repetir, guardar no frigorifico e meter no microondas e aquecer um pedaço tal como saído do forno.

Decidi fazer um brownie de Frutos Vermelhos e Cacau. Parece-vos bem? Receita muito simples e rápida.
Vegan claro e muito reduzido em termos calóricos. Cacau em vez da tradicional barra de chocolate e açúcar mascavado mas só na calda!




Preparação:

1- Começo por colocar os frutos vermelhos numa panela, adiciono o açúcar mascavado e um pouco de água. Deixo cozinhar. Os frutos irão libertar liquido. Retiro quando tiver consistência de xarope. Interessa ter líquido para "molhar" o brownie, a quantidade de açúcar fica ao gosto de cada um, é uma questão de ir provando, eu prefiro assim para o ácido por isso coloquei pouco açúcar, deixo arrefecer.
2- Junto todos os ingredientes secos numa taça de plástico misturando os até ficarem homogéneos.
3- Junto o xarope dos frutos vermelhos aos secos misturando com uma vara e coloco depois a margarina vegetal derretida.
4- Unto uma forma rectangular larga com farinha e margarina e deito o conteúdo da taça.
5- Coloco em forno pré-aquecido a 170ºC durante uns 25minutos.
6- Para verificar se está bem cozido espeto um palito no ponto mais alto, se sair seco é porque está no ponto.

Ingredientes (para uma travessa 15cm x 25cm, dá para 6 fatias generosas):

- 1 Copo Farinha 
- 1 Copo Cacau Magro em Pó
- 100gr Margarina Vegetal
- 1 cl Chá Bicarbonato Sódio
- 3 Copos Molho Frutos Vermelhos *
- 1 cl Chá Sal
- q.b. Farinha para untar
- q.b. Margarina Vegetal para untar

Notas :
- O copo que usei tem cerca de 200ml, um copo normal de água, mais do que a quantidade interessa a proporção dos ingrediente
- 25min forno a 170ºc
- Travessa larga para ficar massa com altura baixa


*Molho Frutos Vermelhos - 2 Copos para a massa e 1 para o Molho do Brownie
- Fiz o molho com variedade de frutos vermelhos, para o fazerem com Mistura de Frutos, recomendo 1kg da mesma, 100ml de água e 2 colheres de sopa de açúcar mascavado. Torna-se mais prático.

A Falafel Saudável


A Falafel é uma bolinha amorosa que provém do Médio Oriente. É constituída por grão de bico ou fava. (Wikipedia). Exceptuando a palavra amorosa que é da minha responsabilidade. 

E amorosa porquê? É uma bolinha redondinha, sem crueldade, plena de sabor, que vai satisfazer com toda a certeza quem a ingerir. Quem sofre de gula certamente arrepender-se-á, parecem pequeninas, inocentes mas vão satisfazer na plenitude, parece que não enche mas dado a sua constituição vão " EMPANTURRAR" !

Tofu Panado


A vida é feita de recordações. Queres queiras quer não, a tua mente não esquece, a primeira vez que estás num sítio, a primeira vez que provas algo, a primeira vez que viste uma pessoa, entre outras primeiras vezes...

Vegan Burger

Que vos posso dizer sobre hamburgers? Nunca estiveram tanto na moda como agora. Há hamburgerias em tudo o que é sitio, crescem que nem cogumelos, é o novo Sushi.
Os blogs estão carregados de hamburgers também, que posso eu trazer de novo? Nada de mais, afinal a pólvora já foi inventada, resta-me apenas brincar com os ingredientes que a compõem, apenas simplicidade e sabor numa das comidas mais populares do mundo.